À procura do momento marcante, Vitinho admite pressão extra pelos milhões e esquenta o "jogo do ano"

ESPORTES - Vitinho sempre foi e entendeu o que é ser rubro-negro, afinal, desde criança é torcedor. Há quase três meses, no entanto, vem vivenciando o Flamengo. E de dentro, de onde sempre sonhou, presenciou o turbilhão de emoções que é o clube. Em tão pouco tempo, com apenas 20 jogos, já passou pelos mais variados momentos.

O início não foi fácil, especialmente para quem chegou com a missão de substituir Vinicius Junior. Mais do que isso, Vitinho desembarcou na Gávea com o carimbo de contratação mais cara da história do clube. Foram 10 milhões de euros que, reconhece, pesaram no primeiro momento.

As trovoadas ficaram para trás. O início frustrante, que levou Vitinho ao banco de reservas com Barbieri, faz parte de um passado nem tão distante, mas que já é página virada. Nos últimos três jogos, já sob o comando de Dorival Junior, foram três vitórias, quatro assistências, um gol e muitos elogios. Vitinho, enfim, começa a escrever sua história no Flamengo.

- Estou satisfeito, mas quero continuar evoluindo. Estou ganhando confiança a cada treino, a cada jogo. Quero continuar nessa pegada.

Vitinho faz o tipo mais discreto, não é de muitas palavras, mas nesta quarta, no Ninho do Urubu, abriu o jogo e bateu um papo com o Globo Esporte por cerca de 40 minutos. Falou de tudo um pouco, da comparação com Vinicius Junior, do jogo contra o Atlético-MG quando entrou e foi substituído no segundo tempo, das relações com Barbieri e Dorival e do “jogo do ano” contra o Palmeiras. Mais do que isso, afirmou estar vivendo um sonho com a camisa rubro-negra. Um sonho em que ainda projeta muitos momentos marcantes e espera não acordar tão cedo.

 

 
Fonte:Globo.com

JORNAL NOVA FM

Programas

Trânsito Agora

Tempo

booked.net

APPs da Nova FM

Real time web analytics, Heat map tracking